KATIANE

ENTREVISTA COM JOHANE LEONE, ENDOCRINOLOGISTA
ENTREVISTA COM THAIANNE BARBOSA, NUTRICIONISTA
ENTREVISTA COM DRº CICERO PEREIRA, ESPECIALISTA EM DOR OROFACIAL
ENTREVISTA COM DRª JOHANE LEONE (ENDOCRINOLOGISTA)
ENTREVISTA COM DRªA LARISSA NANI (MASTOLOGISTA)
ENTREVISTA COM DRº MATEUS RIBEIRO (PSICÓLOGO E COACH)
ENTREVISTA COM DRº MAURÍCIO MARQUES (DERMATOLOGISTA)
ENTREVISTA COM DRº MATEUS RIBEIRO (PSICÓLOGO E COACH)
ENTREVISTA COM DRº CÍCERO (CLÍNICO GERAL)

MP-BA recomenda anulação de correção das provas objetivas do concurso da Polícia Civil


O concurso da Polícia Civil da Bahia (PC-BA), que apresentou diversas suspeitas de irregularidades, segue na mira do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA). Na segunda-feira (18), o promotor Adriano Marcus Brito de Assis fez recomendações ao secretário de Administração do Estado, Edelvino Góes, e ao delegado geral da Polícia Civil da Bahia, Bernardino Brito Filho.
O Ministério Público já investigava o certame por denúncias de fraude. Agora, diversos candidatos enviaram representações ao órgão questionando a conduta da Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) em atribuir peso às questões. O edital de abertura dá a entender que a prova objetiva valeria 100 pontos no total, já considerando tanto as questões de conhecimentos gerais quanto específicos.
Além disso, foi estabelecido que, para ser considerado aprovado nesta etapa, era necessário alcançar 70 pontos. O entendimento principal é que era preciso acertar 70 das 100 questões da prova, mas os candidatos foram surpreendidos com o resultado preliminar da prova, divulgado em 25 de maio, no site da Vunesp, quando a avaliação totalizou 200 pontos. Assim, as 30 questões de Conhecimentos Gerais totalizaram peso de 3,33 pontos cada uma. Enquanto as 70 questões de Conhecimentos Específicos registraram peso de 1,43 por questão. 
Diante da situação, o promotor indicou que o titular da Saeb e o delegado geral “se abstenham de praticar qualquer outro ato de prosseguimento do aludido certame seletivo”, realizado pela Fundação para o Vunesp.
Além disso, Adriano Brito sugeriu que “anulem a correção das provas objetivas, refazendo-a segundo o molde “previsto no edital e adotado ordinariamente pelo Estado da Bahia em outros concursos públicos, qual seja, de correção das provas de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos mediante a aplicação de 100 (cem) pontos para o total das 100 (cem) questões aplicadas nos exames”. 
O promotor designou ainda uma audiência na 30ª Promotoria no prazo de 48 horas.
Análise dos recursos - A análise dos recursos contra as provas objetivas, prevista para ser divulgada no dia 15 de junho, deve ser divulgada até o fim de junho. “A Fundação Vunesp está avaliando as provas com bancas especializadas e mantendo o rigor na avaliação para que nenhum candidato seja prejudicado”, informou a banca à Folha Dirigida
A Vunesp não se manifestou sobre o método de correção de provas e as possibilidades de a banca mudar seu posicionamento. Segundo a organizadora, informações serão divulgadas primeiramente no Diário Oficial do Estado, depois no site da banca organizadora. A banca informou ainda que a Secretaria de Administração da Bahia (Saeb) emitiria uma nota com um posicionamento sobre o atraso do cronograma, mas até o momento nada foi divulgado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco