Ex-presidente da Coreia do Sul é condenada e acumula sentença de 32 anos de prisão


A ex-presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, foi condenada nesta sexta-feira (20) a oito anos de prisão por abuso de fundos estatais e violação das leis eleitorais. A sentença se soma a outra que ela já cumpre pelo caso "Rasputina", no qual foi condenada a 24 anos de prisão.

Na nova condenação, segundo informações do G1, Park foi considerado culpada por ter recebido 3 bilhões de won sul-coreanos (cerca de US$ 2,6 milhões) de chefes do Serviço Nacional de Inteligência, durante o mandato entre 2013 e 2016. A sentença por esse crime foi de seis anos de prisão.

A ex-presidente também foi condenada a dois anos de prisão por ter violado leis eleitorais ao interferir no processo de nomeação dos candidatos do próprio partido em 2016. 

Park governou a Coreia do Sul entre 2013 e 2016, mas teve seu mandato interrompido por um processo de impeachment. Na época, ela foi acusada de utilizar capital político para forçar grandes conglomerados de empresas a pagar dezenas de milhões de wons a duas fundações controladas por sua amiga Choi Soon-il.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco