KATIANE

ENTREVISTA COM JOHANE LEONE, ENDOCRINOLOGISTA
ENTREVISTA COM THAIANNE BARBOSA, NUTRICIONISTA
ENTREVISTA COM DRº CICERO PEREIRA, ESPECIALISTA EM DOR OROFACIAL
ENTREVISTA COM DRª JOHANE LEONE (ENDOCRINOLOGISTA)
ENTREVISTA COM DRªA LARISSA NANI (MASTOLOGISTA)
ENTREVISTA COM DRº MATEUS RIBEIRO (PSICÓLOGO E COACH)
ENTREVISTA COM DRº MAURÍCIO MARQUES (DERMATOLOGISTA)
ENTREVISTA COM DRº MATEUS RIBEIRO (PSICÓLOGO E COACH)
ENTREVISTA COM DRº CÍCERO (CLÍNICO GERAL)

Bitcoin, moeda virtual? Entenda a revolução do setor financeiro


O termo Bitcoin, moeda virtual e Criptomoeda já estão sendo empregados não só na internet, mas também na vida real do setor financeiro. E mais do que nunca. Será esse o futuro do dinheiro?

Atualmente existem diversas moedas virtuais, mais de mil, segundo reportagem do Fantástico, e a Bitcoin é apenas uma delas. Ela é dinheiro, assim como o real ou o dólar. A grande diferença é que não há banco central ou governo ligados a isso. Em outras palavras, só é possível comprar, vender e transferir por meio da internet.

Para comprar bens ou serviços, o cliente transfere as criptomoedas para o estabelecimento usando o celular. Sites que vendem Bitcoins funcionam como casas de câmbio, onde é possível trocar as moedas virtuais por reais, ou vice e versa. Tendo posse das Bitcoins, é possível enviar e receber esse dinheiro pela internet e para qualquer lugar do mundo. Não haverão intermediários, como bancos, por exemplo.

No Brasil, é legal usar moedas virtuais e deve ser declarado à Receita Federal. É preciso, no entanto, ter cautela, uma vez que os valores são instáveis e variam muito.

A tecnologia que faz o mercado de moedas virtuais funcionar é chamado de Blockchain, ou cadeia de blocos, em português. É uma grande teia de computadores espalhados pelo mundo, que registram todas as transações, como se fosse um livro-caixa. Por esta razão, é praticamente impossível fraudar tais informações, já que elas são armazenadas em muitos lugares diferentes.

Moedas virtuais ainda geram desconfiança. Mas cada vez mais pessoas acreditam nas criptomoedas, pois perderam a confiança no sistema financeiro tradicional. Vale ressaltar que, como em qualquer negócio que envolve dinheiro, pessoas usam dessa tecnologia para aplicar golpes e cometer crimes.

Dicas de como começar a investir:

1) Se for comprar moedas virtuais, verifique se o site é confiável;

2) Só aceite pagamentos com criptomoedas se você entender como funciona o sistema;

3) Cuidado para não perder dinheiro, uma vez que os valores flutuam bastante.

No Banco Central do Brasil, "a compra e a guarda das moedas virtuais estão sujeitas a riscos imponderáveis, incluindo, nesse caso, a possibilidade de perda de todo o capital investido". Além disso, a nota informa que "o Banco Central do Brasil não regula nem supervisiona operações com moedas virtuais".

Fonte: Notícias ao Minuto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco